Forma e conteúdo

Por Samuel Matos     22 de abril de 2017     0

A arte como instrumento de avanço do Reino de Deus

Nunca esqueçamos que a nossa mensagem não está nas demonstrações atrativas e superficiais de nosso próprio talento, mas na “demonstração de poder do Espírito” (1 Co 2.4).

Como o maior mestre de todos os tempos, Jesus utilizava a parábola para causar impacto e permitir melhor memorização para os  seus ouvintes. A parábola é uma comunicação altamente ilustrativa, instrutiva e que facilita muito a memorização. Se Jesus contasse de forma direta o incrível desejo do Pai de perdoar os arrependidos, talvez não iríamos entender de maneira tão profunda e tão impactante como Ele declarou através da parábola do Filho Pródigo e de tantas outras.

Deus nos deu a oportunidade de sabermos cantar, dançar, interpretar, pintar e usar todo tipo de arte para o adorarmos e levarmos a outros a mensagem de salvação. É tempo de sairmos das quatros paredes (templo), usando todos esses recursos para ganharmos almas para o reino, é tempo de fazermos conhecido o amor de Deus.

A arte pode ter um poderoso impacto se for produzida na unção e no poder do Espírito Santo. Deus usou um músico ungido para abrir o coração de Eliseu à profecia, de uma maneira poderosa (2 Reis 3.15).

O livro de Salmos é, na verdade, um hinário que continuamente exorta-nos a cantar ao Senhor (Sl 149.1).  A dança também está incluída na bíblia, o Salmo 149.3 diz: “Louvem o seu nome com danças”. Imaginemos um grande impacto evangelístico, com arte circense, teatro, danças, músicas, grafite, tudo sendo utilizado com propósito evangelístico. Temos que lançar mão da prática do Senhor de falar por parábolas. As artes permitem uma profunda identificação com a dor das pessoas e na ministração da verdade da Palavra de Deus com sensibilidade.

É Deus oferecendo perdão, amor, libertação, cura por meio da manifestação artística, pois se fossemos pregar como fazemos durante o culto ou panfletar como normalmente fazemos em nossos encontros evangelísticos, iríamos lançar o ouro puro de Deus sobre os homens, para todos, mas poucos o identificam e se esforçam para possuir este ouro e conhecer aquele que o está semeando. A palavra em Mateus 13:9-17  é clara, o homem com o coração endurecido para com Deus, não tendo interesse para as coisas de Deus, ainda que Deus fale ao seu coração, não perceberá, não compreenderá e, portanto, não se beneficiará da salvação e de curas.

Um tema que permeia todo o livro de Esdras é o de que a mão de Deus estava sobre ele em tudo o que fazia. Precisamos da poderosa mão do Senhor sobre nós, em nossos talentos e dons. Quero encorajá-lo a sair da zona de conforto, os campos estão brancos, mas os ceifeiros são poucos!

 

Autor: Samuel Matos

Sou designer, CEO da Agência Aldeia Thisam, estudante de arquitetura na maior parte do dia e escritor quando dá!
comentarios